Para entender melhor as possibilidades que a biometria facial nos oferece, hoje vamos nos concentrar em detalhar as diferenças e semelhanças entre autenticação digital e identificação. Embora possamos pensar que elas são intercambiáveis, na verdade, são formas diferentes de manter o processo seguro e eficiente. 


Autenticação 

Neste caso, estamos respondendo à pergunta: essa pessoa é quem diz que é? Para isso, será feita uma comparação entre essa pessoa, que deve estar na frente de uma câmera, e uma foto sua previamente armazenada.  

Também é conhecida como 1:1, porque o padrão facial que avaliamos é comparado apenas com o modelo do mesmo usuário. Para isso, é fundamental ter um bom extrator de padrões faciais, que serão utilizados posteriormente pelo matcher, tecnologia responsável por verificar se os padrões pertencem ao mesmo usuário. Se for correto, o matcher devolverá  um resultado positivo. Esse procedimento pode ser utilizado, por exemplo, em bancos que precisam verificar a identidade dos seus clientes para que tenham acesso às suas contas. Mas ele também pode ser aplicado a qualquer outro setor que precise de autenticação digital. 


Identificação 

Esta técnica responde à pergunta: quem é, entre todos eles? Ela dá essa resposta comparando os dados biométricos de uma pessoa com os de um conjunto de usuários. Trata-se de encontrar a identidade desse usuário dentro do grupo.  

Também nos referimos a ela como 1:N porque a identidade deve estar localizada entre um número N de padrões, com diferentes identidades com as quais ela vai ser comparada. Nesse caso, o padrão entre os diferentes perfis deve ser o mais diferente possível. Esse é o método que pode ser usado em uma empresa para registrar o controle de entrada e saída de funcionários. Ou para deixar o sócio entrar no estádio para curtir o jogo. 


Tanto a autenticação quanto a identificação funcionam com cadastro prévio, pois os dados do usuário são necessários para poder fazer a comparação corretamente.  Devem ser levados em consideração atributos como: bonés, óculos, cachecóis ou máscaras, caso contrário o padrão deste sistema de verificação não será fiel e poderá causar problemas. Nesse caso,  também é de extrema importância uma tecnologia inclusiva que controle o nível de viés demográfico (link para o post anterior), que é outro fator que pode induzir a um resultado negativo. 

Partilhar esta entrada: